Contos Eróticos Sexo Livre

Erotismo em forma de Série

Publicado o Episódio 21

Publicada a ilustração do Episódio 19 – Em breve novas ilustrações

Swing no Caribe

Episódio 19

Conhecer um novo casal fez com novos desejos surgissem.  Sara nos conta como a bela loira alimentou nos dois fantasias que fizeram com que Paulo a pegasse de forma selvagem quando voltaram para o quarto.

“Pensei em ficar de quatro, mas Paulo logo se deitou entre as minhas pernas e logo senti seu pau duro se esfregando em minha buceta e meu rabinho.  Fiquei na dúvida quem ele iria foder, minha buceta ou meu rabo?   Lembrando de que ele não havia pegado nenhum lubrificante meu rabinho até travou, mas logo percebi que ele queria era minha buceta toda encharcada de tesão.

Prévia do Áudio

Já era tarde quando chegamos à praia, mas não deixamos de fazer nossa caminhada do dia.  Normalmente era matinal, mas desta vez foi uma caminhada do meio-dia num sol bem quente.  Como não tínhamos mais os amigos para reservar umas cadeiras na praia, fomos direto para a piscina onde neste horário era possível encontrar mesas disponíveis.  Lembrando das recomendações da nutricionista Nádia, nos hidratamos primeiro com bastante água para depois passar para os drinques.

Logo a piscina ficou cheia com a chegada dos casais que estavam na praia, deixando Paulo assanhado com a presença de muitas mulheres bonitas.  Sua libido andava também em alta e sabia muito bem que uma bunda bonita sempre o deixava excitado, mas não me importava, já que seria eu que iria usufruir de seu tesão.

Depois de duas margaritas, já nos encontrávamos bem alegres e comentando sobre os casais com quem seríamos capazes de realizar uma nova troca.  Na verdade, nem pensávamos nessa possibilidade, a experiência com Rafael e Nádia havia sido suficiente para satisfazer nossa curiosidade e de certa forma ficamos com muitas dúvidas se realmente estávamos preparados para entrar nesse mundo liberal.  De qualquer forma, as fantasias estimuladas pelas lembranças eram muito excitantes e já sentia minha buceta molhada com a conversa.

Percebi que Paulo também estava bem excitado e pensei em propor irmos para o quarto tomar um banho juntos, mas antes que tomasse a iniciativa fui mais uma vez surpreendida por um casal de hóspedes se aproximando de nossa mesa.  Novamente um casal de brasileiros, acho incrível como os brasileiros ao encontrar conterrâneos fora do país gostam de puxar uma conversa.  Desta vez a situação era diferente, o casal havia chegado naquele dia e se encontravam meio perdidos. 

Eram mais novos que nós, mas não tão jovens como Rafael e Nádia.   Ele era um sujeito até simpático, magro e com uma aparência meio nerd, acho que me lembrou Paulo a uns 15 anos atrás.  Ela devia ser um pouco mais nova, uma loira bonita, provavelmente do sul do país, mas sem o charme e a sensualidade de Nádia, apesar de ter um corpo bem atraente.  

Como minha intuição não costuma falhar, ele se chamava Vinícius e trabalhava com tecnologia.  Paulo antes de se aposentar também trabalhava nessa área e sempre foi também um pouco nerd, mas como já li em algum lugar, eles costumam ser tímidos, mas amantes muito carinhosos e dedicados.  Porém foi Camila, sua esposa, quem despertou mais minha atenção.  Como eu, gosta de passear no shopping e fazer compras, é advogada, muito culta e bem-informada.  E o melhor, gosta de vinho e de margaritas.

Pediram também uns drinques e ficamos conversando por umas duas horas.  A conversa foi muito agradável, também gostam de viajar, apesar de nunca terem vindo ao Caribe.  Demos dicas das coisas mais legais do hotel e combinamos de nos encontrar mais a noite na boate.  Saímos juntos da piscina bem alegres, acho que até meios tontos com o efeito dos drinques.  Se me lembro bem, havia tomado umas quatro margaritas, mas estava sóbria o suficiente para observar Paulo analisando a bunda de Camila que caminhava a nossa frente.

Ao chegar no quarto é que nos demos conta de como estávamos excitados.  Mal fechamos a porta e começamos a nos beijar loucamente enquanto tirávamos nossas roupas de banho.  Minha buceta se encontrava toda molhada e Paulo logo ficou de pau duro.  Deitei-me na cama e abri bem minhas pernas para que Paulo visse minha buceta querendo seu pau bem lá no fundo.  Como uma fera, Paulo segurou meus pés e me virou de bruços, queria ver minha bunda.  Como disse, não me importava que ele ficasse olhando outras bundas, que no final seria eu quem iria usufruir.  

Pensei em ficar de quatro, mas Paulo logo se deitou entre as minhas pernas e logo senti seu pau duro se esfregando em minha buceta e meu rabinho.  Fiquei na dúvida quem ele iria foder, minha buceta ou meu rabo?   Lembrando de que ele não havia pegado nenhum lubrificante meu rabinho até travou, mas logo percebi que ele queria era minha buceta toda encharcada de tesão.

Para facilitar levantei um pouco os quadris e logo senti seu pau no fundo de minha buceta.  Foi muito selvagem, acho que até doeu, mas com o tesão que me encontrava e depois de quatro margaritas só senti prazer.

– Me fode como queria foder aquela loira gostosa! Não é isso que ficou pensando enquanto conversávamos na piscina? – Falei bem alto deixando Paulo ainda mais louco.

Segurando minhas mãos contra a cama me fodia forte.  Sabia que minha buceta iria ficar toda esfolada, mas meu tesão falava mais alto, movimentava minha bunda fazendo com que a penetração fosse ainda mais profunda. 

– Goza, goza, e depois me chupa como quero ser chupada por aquela loira safada. – Gritei novamente.

– Vou gozar! Vou gozar! Vou encher sua buceta com minha porra quente. – Gritou Paulo enlouquecido.

Depois de duas enfiadas muito fortes ele gozou, me fazendo realmente sentir o calor de sua porra no fundo de minha buceta.  Eu também estava quase gozando, mas mesmo que ele continuasse não conseguiria gozar naquela posição.  Porém sabia que Paulo não me deixaria não mão.

Mal se recuperou do gozo, da mesma forma que me virou de bruços, pegou pelos meus pés e me virou de costas.  Senti sua porra escorrer e sua língua quente percorrer a parte interna dos lábios de minha buceta até meu clitóris me fazendo gemer de prazer.  Estava tão excitada, que antes que ele se deliciasse com minha buceta lambuzada, comecei a gemer e gozei.  Da mesma forma que Nádia, apertei o rosto de Paulo contra minha buceta o deixando sufocado por quase um minuto e seu rosto todo lambuzado.

Exaustos, cochilamos abraçados por quase duas horas, para depois acordarmos sentindo o forte cheiro de suor e sexo de nossos corpos.  Enquanto tomávamos um gostoso banho juntos conversamos sobre Vinícius e Camila.  Houve um consenso de que Camila era realmente bem atraente, mas não era sedutora como Nádia e que Vinícius era apenas simpático.

Havíamos combinado de terminar a noite na boate, mas após o jantar os encontramos no bar do hotel.  Como estavam cansados da viagem, desistiram da boate e ficamos no bar conversando até mais tarde.Ao voltarmos, o quarto havia sido arrumado para a noite e percebemos O cheiro de algum tipo de perfume para ambientes e o lençol havia sido trocado.  Envergonhados, não havia nada a fazer além de rir da situação e dormir, já que o dia seguinte seria o nosso último dia no Caribe e programamos um passeio turístico proposto pela agência, saindo logo de manhã e só voltando no final da tarde.