Contos Eróticos Sexo Livre

Erotismo em forma de Série

Publicado o Episódio 01 da Terceira Temporada

Publicada a ilustração do Episódio 01

Um Novo Casal Liberal

Episódio 15

O propósito de Paulo não era apenas satisfazer Sara, mas realizar sua fantasia de se entregar a uma garota trans. Sara entra no jogo e deixa Paulo liberar seu lado feminino e passivo se entregando totalmente às duas mulheres.

Na verdade, o principal interesse de Paulo no encontro não era me ver com Bruna, mas experimentar o sexo com uma garota trans.  Para ele seria o melhor dos dois mundos, foder um rabo de uma mulher e ao mesmo tempo chupar e ser fodido por um pau de verdade, porém em um corpo de mulher e de bônus me ver sendo fodida por ela.  O que aconteceu foi que o bônus veio primeiro, mas como ainda não gozaram Paulo ainda poderia satisfazer sua fantasia.  Decidi ficar quieta e ver o acontecia.

Bruna se ajoelhou na cama e se aproximando de Paulo segurou seu pau ainda duro e o surpreendeu com um beijo de língua bem molhado.  Paulo correspondeu e foi logo retribuindo, segurando o de Bruna que também se encontrava ereto, não cabendo completamente em sua mão.

Aquele beijo melado, cheio de tesão e desejo, logo me deixou excitada e mesmo exausta passei a me masturbar, enquanto assistia e esperava uma oportunidade de participar.  Naquele dia me encontrava insaciável e esperava que ao voltarmos ao hotel Paulo ainda tivesse forças para me fazer gozar com uma boa chupada, enquanto nos lembrássemos da tarde com Bruna.

Bruna também apreciava ser passiva e se colocando de quatro ofereceu seu rabo para Paulo, que ficou fascinado e tratou logo de satisfazer os desejos de sua boca gulosa, chupando vorazmente.  Paulo estava alucinado, lambia as pregas e enfiava a língua.  Bruna havia retirado o preservativo e seu pau despertou em Paulo um desejo incontrolável, principalmente ao perceber gotas de tesão brotando daquele membro grande e grosso. 

A boca fogosa de Paulo se fartava como nunca na vida, enfiava o pau até a garganta para se engasgar e deixá-lo bem lambuzado de saliva.  Colocava as bolas na boca enquanto brincava com a mão deslizando pelo pau todo melado.  Paulo era ligado em odores e até o do rabo de Bruna o excitou.

Com a cabeça no travesseiro, Bruna não conseguia disfarçar seu tesão e gemia baixinho quase mordendo a fronha.  Resistindo ao desejo de participar, continuei me masturbando, enquanto assistia a cena com pesar de não ter o celular na mão para filmar.  

Se dependesse da Paulo, continuaria por horas, mas pelos movimentos da bunda de Bruna, percebeu que ela queria ir além.  Quando começou a forçar as pregas de seu rabo, foi interrompido por ela para que colocasse um preservativo que já se encontrava em suas mãos.  Colocando rapidamente, aproveitou para lambuzá-lo com lubrificante e com dois dedos preparou o rabo de Bruna para receber seu pau que pulsava de tesão.

Encaixou a cabeça e logo foi praticamente engolido por um rabo guloso, acompanhado por suspiros e gemidos de Bruna que empinando ainda mais, permitiu que entrasse todo e suas bolas fossem tocadas pelas de Paulo.  O olhar de Paulo para aquele corpo lindo demonstrava claramente seu fascínio e tesão.  Fodia com movimentos contínuos, mas não lentos, numa cadência excitante de se apreciar.

Excitada e quase gozando novamente, não resisti à tentação de participar quando vi o pau de Bruna dependurado e ainda rígido, com gotas pingando na cama.  De costas, escorreguei por baixo do corpo de Bruna e além de lhe oferecer minha buceta enxarcada, fiz seu pau saltar ao lamber delicadamente sua cabeça brilhante.

A cena pornô estava perfeita, pena não ser filmada.   Mesmo estando a trabalho, era perceptível o tesão de Bruna, não só por seu  pau duro, mas pela maneira que saboreava minha buceta.  Da maneira que eu chupava e no ritmo que Paulo fodia, provavelmente seria eu a gozar primeiro, mas Bruna também evitou que acontecesse.

Enfim um êxtase extremo tomou conta que Paulo que certamente o faria gozar.  Percebendo que iria acontecer, tirou o pau e rapidamente o preservativo, conseguiu gozar diretamente no rabo entreaberto de Bruna.  

Os jatos de porra escorriam lambuzando suas bolas e seu pau que se encontrava em minha boca.  Pela farta quantidade, provavelmente Paulo havia se poupado desde que viajei.  Meu rosto ficou todo lambuzado, tive até de fechar os olhos já que jatos menos fortes caiam diretamente em meu rosto e Paulo fazia questão que isso acontecesse.

Não imaginava que ficaria tão excitada com aquela lambança, complementada pela boca de Bruna que sugando meu clitóris como se fosse um mamilo me deixava enlouquecida.   Suguei cada gota que consegui e gozei com o pau de Bruna quase me sufocando.  Deve ter sido o gozo mais depravado de toda minha vida.  

Tive de me levantar e ir diretamente para o banheiro me lavar, Paulo não havia perdoado nem meus cabelos recém lavados e escovados.  Fiquei espantada ao ver meu rosto no espelho, porém sem explicação, meu nível de excitação se mantinha alto e de forma maliciosa limpei meu rosto com os dedos para beber cada gota oriunda do prazer de meu marido.

Ao voltar para o quarto me deparei com Paulo de quatro e Bruna colocando um novo preservativo em seu pau que pingava de tesão.  Paulo não iria embora sem ter seu rabo arrombado pelo pau enorme de Bruna, que certamente não pretendia ficar sem gozar depois de uma orgia daquelas.

Aprendendo a gostar de safadeza, resolvi ajudar.  Abri a bunda de Paulo, lambuzei com lubrificante e enfiei logo dois dedos.  A vontade foi enfiar a mão toda como na noite com Rosana, mas sabia que teria de estar bem arrombado primeiro e que o pau de Bruna faria bem o trabalho.  Três dedos foram suficientes para deixá-lo bem relaxado em condição de receber o pau de Bruna que se encontrava prontinho para fodê-lo.

Que excitante foi ver a entrada lenta e contínua que terminou com quatro bolas se encontrando.  Não resisti e olhando para Paulo o provoquei:

– Pronto, agora vai mostrar para Bruna que Paulo já foi embora e uma puta tomou seu lugar.  Quero ver seu rabo ficar arrombado como minha buceta ficou.  Tem de gemer bastante para mostrar que está gostando.

Bruna se divertia com minhas palavras e resolveu ajudar:

– Vamos ver por quanto tempo aguenta um pau grosso de  vinte e dois centímetros em seu cu.  Vou deixá-lo completamente arrombado.

Certamente Paulo estava ansioso por esse momento.  Seu pau mole ainda pingava e como o prazer seria concentrado no rabo dificilmente ficaria duro novamente.  De qualquer forma aproveitei para me sentar na cama e colocar sua cabeça entre minhas pernas para ele poder sentir meu cheiro e meu sabor.  Conhecendo Paulo, sabia que iria complementar seu prazer, já que adora chupar minha buceta.  Levantei sua cabeça e completei:

– Agora e sua vez, seu pervertido.

Bruna permanecia com o pau bem no fundo aguardando até que me ajeitasse na cama.  Foi só eu olhar para ela, que segurando pelos quadris tirou praticamente tudo e enfiou novamente até o fundo lentamente.  Repetiu várias vezes deixando Paulo alucinado e ansioso.  Apertando sua cabeça contra minha buceta avisei:

– Fica tranquilo e me chupa que não vai ser com carinho que ela vai te foder.

Bruna estava impressionada com a insensatez de minhas palavras e decidiu entrar no clima.

– Sua puta, vai ter logo o que merece.  Ela gosta de uns tapas na bunda ?

– Claro. – Respondi imediatamente.

Dois tapas fortes nos dois lados da bunda fizeram Paulo gemer e chupar forte meu clitóris.

Bruna metia cada vez com mais intensidade e frequência até atingir um ritmo frenético e parar para olhar o quanto arrombado estava.  A cada parada eu aproveitava para levantar a cabeça de Paulo e perguntar em tom provocante:

– Está gostando amor ?  Ou prefere mais forte ?

Antes de continuar, duas palmadas faziam Paulo gemer e sua bunda ficar cada vez mais vermelha.  A mão de Bruna era bem mais pesada que a minha e provavelmente suas palmadas bem mais doloridas, porém não dava tempo de sentir as dores e sua rabo já estava sendo novamente castigado.  Sua sorte ou talvez seu pesar, é que Bruna não aguentou muito tempo sem gozar, mas o suficiente para deixar Paulo ofegante e com o pau pingando.

Quando percebeu que não aguentaria mais, tirou o preservativo e mandou que Paulo viesse logo que puta que se preza tinha de levar porra na cara.  Liberando a cabeça de Paulo me posicionei para assistir a cena.  Tive até vontade de participar, mas não me encontrava excitada o suficiente para experimentar a porra de um pau que não fosse o do meu marido.

Com as mãos na cabeça de Paulo, colocou metade em sua boca e fodeu até gozar, segurando para que recebesse e engolisse sua farta porra.  Quase se engasgando com a força dos jatos iniciais, engoliu com a satisfação de uma puta bem paga e fodida.  O detalhe é que essa puta era quem estava pagando.

Depois de uns três ou quatro jatos fortes, tirou para fora e continuou despejando no rosto de Paulo que ficou completamente lambuzado, escorrendo até pingar no seu peito depilado.  Excitado com a experiência, continuar a chupá-lo para se fartar de cada gota remanescente.  Não contente, ainda tentou com as mãos apertá-lo para mais algumas gotas pingassem em sua língua.

Discretamente, Bruna vestiu um elegante e sensual roupão transparente e nos entregando tolhas limpas de ótima qualidade nos deixou à vontade para tomarmos um banho.  Paulo se encontrava todo lambuzado de porra e nossos corpos tinham cheiro de sexo.  No banheiro se encontrava a nossa disposição sabonetes como os de hotel e até xampu e condicionador.  Fiquei curiosa ao não ver Paulo pagar Bruna pelos seus serviços.  Na verdade, foi necessário o pagamento antecipado através de uma transferência bancária.  Paulo não quis me contar o valor dos serviços, mas pelo padrão do local e do atendimento não deve ter sido barato, porém concluímos que valeu cada centavo.

Voltamos para hotel e muito cansados desistimos de sair para jantar, pedindo alguma coisa do serviço de quarto.  Não tenho certeza se foi para o prazer ou para o desespero de Paulo, mas antes de dormir fiz com que me chupasse enquanto o estimulava dizendo que poderia se encontrar sozinho com Bruna e aproveitar tudo que ela pudesse oferecer.  A cada proposta Paulo ficava mais empolgado e me chupava com mais tesão.

Comecei propondo começarem de ladinho, bem forma bem carinhosa, beijando seu pescoço para ficar bem arrepiado.  Depois que ele ficasse deitado de bruços, com um travesseiro levantando sua bunda, desta forma poderia sentir o peso de Bruna enquanto fosse fodido.  Paulo até gemeu com essa ideia, já que é a posição que mais gosto, nas ocasiões que permito que foda meu rabinho.  

Certamente iria querem ficar de quatro novamente para sentir os vinte e dois centímetros bem no fundo do rabo, pena que não teria minha buceta para chupar ao mesmo tempo.

Me lembrei que na noite com Rosana queria ser fodido na posição de frango assado, que permite uma penetração bem profunda e poderia olhar bem nos olhos negros de Bruna enquanto fosse fodido.  Para finalizar, com ela deitada de costas, faria uma deliciosa cavalgada e terminaria gozando em sua barriga, como aconteceu em uma das poucas vezes que fizemos uma inversão.Como sempre habilidoso com a língua e os lábios, me fez gozar rapidinho.