Contos Eróticos Sexo Livre

Erotismo em forma de Série

Publicado o Episódio 02 da Terceira Temporada

Um Novo Casal Liberal

Episódio 21

Logo os casais estavam prontos para um segundo tempo. A troca de casais desta vez foi diferente. Isabela com Sara e pela primeira vez Paulo foi ativo com outro homem. O resultado foi muito tesão e gozo.

Após o banho, Isabela e eu permanecemos nuas e nos assentamos na cama apoiadas na cabeceira.  Os rapazes vestiram seus shorts e prepararam uma nova rodada de drinques, desta vez optando por uma Gin Tônica com algumas especiarias que Henrique havia trazido para a viagem.  Nos serviram e se assentaram em duas poltronas ao lado da cama.

Henrique quis se desculpar pelo momento selvagem, mas o tranquilizei dizendo que não tinha de que se desculpar, se aceitei foi em sã consciência e apesar do rabo meio dolorido e a bunda vermelha senti muito prazer naquele momento.  Ficaram mais tranquilos quando contei das nossas pequenas experiências de BDSM.  Confessaram que já havia pensado em entrar para o meio, mas concluíram que não possuíam o autocontrole suficiente.

Aproveitando o assunto, perguntei se eram adeptos à inversão de papéis, o pegging, já que havia entre os brinquedos expostos uma cinta com pênis acoplado.  Isabela respondeu que não e algumas poucas vezes experimentaram, o objetivo do acessório era para ela penetrar parceiras.  Isabela era uma bissexual assumida e era comum saírem para um ménage feminino. Apesar de me sentir à vontade com os parceiros, preferi não expor as preferências de Paulo, deixando para que ele as revelasse caso quisesse. 

Descontraída e reanimada com o novo drinque, decidi satisfazer minha curiosidade com uma pergunta bem íntima para Henrique:

– Vi seu sorriso ao ver o pau duro de Paulo.  Gosta também ?

Achei que ele iria corar de vergonha, mas não, bem à vontade disse logo que gostava sim, não sentia tesão por ser penetrado com um brinquedo e que na verdade era bissexual e que sentia atração por homens.  Confessou que naquele momento seu desejo foi chupar o pau duro de Paulo, mas que meu rabo também o satisfez.

Quem se sentiu constrangido com a declaração foi Paulo, que apesar de ser aberto a sacanagens, nunca imaginou uma cantada como aquela.  Olhei para Paulo e sorrindo comentei que poderia ser uma experiência nova para ele.

Novamente foi Isabela quem deu a largada para o segundo tempo.  Se levantou se colocando atrás da poltrona de Paulo e olhando para Henrique falou em seu ouvido de forma que todos ouvíssemos:

– Queria muito te ver comento o rabo de meu marido.  Em troca vou foder a buceta de sua esposa.  Desta vez fui eu a corar com a proposta que me envolvia, mas na verdade até que gostei da ideia.  Já havia fodido a buceta de Nádia e pelo que percebi ela gostou muito.

Isabela nem esperou resposta de Paulo, se ajoelhou e novamente tirou seu short.   Vendo que estava de pau duro, deduziu que ele topara sua proposta.  Chamou o marido e o colocando no seu lugar, mandou que mostrasse que não era especialista somente em chupar bucetas.  Paulo ficou sem palavras, já que sua excitação pelo assunto estava claramente comprovada.  Quando saímos com Bruna, ficou com vontade de foder seu rabo, mas no caso era um corpo feminino, agora seria o de um homem.  A verdade é que Henrique realmente sabia fazer um boquete e deixou Paulo completamente desarmado e entregue.  

Deixando o dois se entenderem, Isabela colocou a cinta e veio até mim que ainda me encontrava sentada na cama observando o que acontecia.  Ajoelhou na cama e me chamou para um gostoso beijo antes de me dizer o que pretendia:

– Sei que deseja chupar minha buceta, mas vai ter de fazer um boquete no meu pau que primeiramente serei seu homem.

Era relativamente pequeno, no máximo uns quinze centímetros e por volta de 4 de diâmetro.  Coloquei na boca e por um instante achei bem estranho, mas segurando na bunda de Isabela consegui deixar rolar a imaginação e embarquei na experiência.  Paulo já me contou que faz isso com seus brinquedos no chuveiro, costuma utilizar dois para poder imaginar que são dois homens que irão fodê-lo e que sempre o deixa muito excitado.  Enfia até a garganta, engasga-se e utiliza a própria saliva para lubrificar seu rabo.  Utilizei-me dessas fantasias e funcionou, me excitou e o deixei todo lambuzado para facilitar a penetração.

Paulo gemia na boca de Henrique, enquanto Isabela simulava o tesão de minhas chupadas com suspiros e gemidos.  Na verdade, também estava excitada, acontece comigo quando estou fodendo o rabo de Paulo.  Acontece tanto pela imaginação de ter um pau, quanto pela fricção da base de borracha com a buceta.  Descobri depois que a cinta de Isabela tinha um pequeno pênis na parte de dentro, que se encontrava enfiado em sua buceta.

Na posição em que me encontrava dava para ver Paulo de olhos fechados gemendo com o empolgado boquete de Henrique, que realmente tinha uma boca muito habilidosa.  A cena completava minha excitação e fazia com que minha chupada se tornasse ainda mais autêntica.  

Querendo algo mais, Henrique se levantou e pegando nas em suas mãos encaminhou Paulo para perto da cama.  Pediu que ele se deitasse de costas que queria continuar ali.  Acomodando-se em um travesseiro, fechou os olhos deixou que Henrique continuasse, agora bem ao meu lado.

A cena estava muito excitante e chamou a atenção de nós duas, quase nos atrapalhando.  Acho que ambas desejaram naquele momento compartilhar com Henrique o pau de meu marido.  Isabela então segurou meu rosto e colocando o pau em minha boca falou em tom de comando:

– Larga de safadeza e chupa direito meu pau que logo vai foder sua buceta gulosa.

Era uma brincadeira, mas fazendo o meu papel, obedeci e continuei a chupar imaginando que fosse o de Paulo.  Isabela então  mandou que eu parasse que agora era o momento de me foder.  Comecei a me virar para ficar de quatro para ela, mas fui interrompida para que me deitasse de costas como Paulo.

Sua intenção era fazer uma papai-mamãe, ou quem sabe um mamãe-mamãe.  Me deitei e abri as pernas expondo minha buceta que brilhava por conta de minha lubrificação.  Completando com sua saliva, colocou cuidadosamente o pau em minha buceta que aceitou facilmente.  Era bem flexível, se encaixava facilmente e dobrava acompanhando a curvatura para a entrada.  Na verdade, me senti mais confortável que com o pau rígido de Henrique.

Dobrando seu corpo deitou-se sobre o meu e pude sentir seus peitos macios me pressionando.  Foi excitante sentir novamente seus mamilos me tocando como na cachoeira, só que agora tinha o complemento de um pau me penetrando e o peso de um corpo sobre mim.  Como um homem, passou a chupar meus mamilos e movimentar seus quadris fazendo o pau entrar e sair de dentro de meu corpo.

Realmente para mulheres lésbicas, que sentem falta de um pau na buceta o arranjo funciona muito bem, sem contar que existem inúmeras variedades de formatos e tamanhos, alguns inclusive imitando o pau de atores pornô famosos.

Me distraí e nem observei que Henrique já não chupava o pau de Paulo, mas já o havia enfiado no rabo e cavalgava lentamente enquanto acariciava seus pelos brancos.

Percebendo que me distraía observando os rapazes, Isabela novamente me repreendeu com um leve tapa no rosto virando meu olhar para o outro lado.  Mordiscou com força meus mamilos, como um castigo, que na verdade me deixou ainda mais excitada com a dor suave provocada.

Sentia prazer, mas não me encontrava empolgada como no primeiro tempo de nosso encontro.  Me esforcei para não decepcionar Isabela que se esforçava para me dar prazer.  Resolvi ser sincera e pedi para que tirasse a cinta e se deitasse na cama.  Deitei-me sobre ela para sentir minha buceta em contato com a sua.

Isabela gostou da ideia, já que também não se sentia tão empolgada.  Minha buceta se encaixou facilmente entre seus grandes lábios carnudos e meu corpo leve se acomodou no acolchoado de seus fartos peitos.  Me movimentava bem devagar pressionando meu ventre contra o seu, enquanto ela fazia o mesmo com seus quadris para cima. 

Isabela também estava interessada em ver Paulo foder o rabo de seu marido e encontramos a posição perfeita.  Depois de alguns beijos me deitei em seu peito e continuando a nos movimentar lentamente enquanto assistíamos à uma excitante cena protagonizada por dois homens.

Já havia assistido a algumas cenas na área gay de um famoso site de vídeos pornográficos, porém da mesma forma que os vídeos hetero, não era cenas agradáveis de se ver.  Gosto de ver transa que começa de uma forma mais carinhosa ou até romântica, para depois evoluir para o sexo selvagem.  

Henrique e Paulo estava exatamente nessa fase.  Paulo relaxado aproveitava o momento de prazer de olhos fechados, enquanto Henrique movimentava sua bunda de uma forma que parecia estar aproveitando o prazer de cada centímetro que percorria o interior de seu rabo.  

Certa vez assisti a Paulo se masturbar no banheiro com um pau com ventosa fixado na parede.  O movimento era exatamente como o de Henrique e depois Paulo me contou o que sentia.  Na ocasião completei seu prazer com um boquete enquanto me masturbava com os dedos e segurei meu gozo até que ele gozasse em minha boca para gozar logo em seguida.

Dava para perceber que Henrique se continha para não assustar Paulo com um beijo, mas era o que parecia desejar.  Porém não resistiu a pelo menos beijar seu pescoço e deixá-lo arrepiado.  Vendo que a carícia era bem recebida foi aproximando dos lábios de meu marido e acabaram se envolvendo em um excitante beijo de língua.  

A cena me incentivou a fazer o mesmo com Isabela e logo os casais trocados de uma maneira peculiar, protagonizavam uma cena que seria capaz de agradar a muitos que não apreciam o pornô comercial.

Entre os homens, a fase do carinho e romantismo não durou muito tempo.  O beijo molhado com o pau enfiado no rabo deixou Henrique muito excitado querendo algo mais selvagem.  Olhando nos olhos de Paulo falou que queria se fodido como uma puta até gozar.  Se levantou e ficando de quatro com a cabeça voltada para os pés da cama arrebitou sua bunda para que Paulo a fodesse com havia pedido.

Fomos obrigadas a interromper nosso beijo para assistir a Paulo se ajoelhar por trás de Henrique e antes de novamente encaixar o pau em seu rabo já relaxado, lamber e enfiar a língua em seu interior aumentando ainda mais seu desejo.  Para completar, puxou o pau quase duro de Henrique para trás e chupou até que ficasse completamente ereto.

Nossas bucetas continuavam grudadas e continuávamos a nos mexer.  Aquela cena de alto teor erótico me excitou de uma forma que comecei a gemer e gozei surpreendendo Isabela, que também se encontrava em alto grau de excitação.  Mesmo com o clitóris sensível, continuei meus movimentos e beijei Isabela com tal volúpia, que acabou por gozar também.  Relaxadas e satisfeitas ficamos à vontade para continuar a assistir a cena de nossos maridos.

Enquanto gozávamos perdemos a parte em que Paulo enfia seu pau no rabo de Henrique.  Quando retornamos já fodia com força e Henrique pedia para ser mais forte que queria gozar.  Paulo segurava a bunda de Henrique e enfiava até que suas bolas se tocassem.  O pau de Henrique já pingava pronto para gozar sem ser tocado.

Certamente Paulo temeu gozar antes e decepcionar o parceiro.  Tentou masturbá-lo, mas foi impedido.  Henrique queria gozar só pelo estímulo anal.  Olhamos uma para a outra e resolvemos participar da brincadeira.  Isabela se dirigiu aos pés da cama e passou a beijar seu marido e dizer sacanagens do tipo “goza minha puta” em seu ouvido.  De minha parte abracei Paulo por trás e acompanhei com meus quadris para seu movimento ser ainda mais forte.

Uma sacanagem passou por minhas cabeça, mas não tive tempo de colocar em prática.  Pensei em colocar a cinta e foder simultaneamente o rabo de Paulo, conhecido como trenzinho nos vídeos rotulados como pornô bissexual.  Paulo provavelmente iria gostar, mas o máximo que deu para fazer foi molhar um dedo com saliva e enfiar em seu rabo.

Naquele ponto dava para perceber por suas falas e gemidos que Henrique estava quase gozando.  Pedia para Paulo foder cada vez mais forte e bater em sua bunda.  Segundo Paulo esse tipo de gozo é difícil de se obter e quando está próximo é desesperador.  Poucas vezes conseguir sozinho, mas fica em um ponto que basta um pequeno estímulo no pau que o gozo vem rapidamente, mas de forma diferente.

Para o alívio e satisfação de todos, Henrique gozou fazendo uma poça de porra no colchão, que para a minha felicidade não era o do nosso chalé.  Queria estar no lugar de qualquer um dos dois naquela hora, já que as contrações de Henrique foram tão fortes no rabo, que fez com que Paulo também gozasse de forma intensa em meu dedo, que continuava enfiado em seu rabo.  Paulo diz que quando gozo em sua boca com seu dedo em meu rabo é como se ele gozasse junto e foi o que senti naquele momento.

Para o desespero de Isabela, além da poça provocada pelo gozo de seu marido, quando Paulo tirou o pau de seu rabo a porra que se encontrava no interior escorreu pingando também no colchão.  Descontraídos começamos a rir da situação.  Se filmada seria uma cena do tipo pornô comédia.  Um homem de quatro com o pau de outro pingando em suas costas e uma mulher logo atrás com o dedo no rabo do segundo, todos rindo alto do desespero de outra mulher vendo sua cama toda suja de porra.  A verdade é gozamos e nos divertimos numa troca completa de casais, de forma hetero e homossexual. Duvido que se encontre um filme pornô com uma narrativa como essa.

Henrique e Isabela voltariam para sua cidade no dia seguinte após o café que poderia ser tomado bem tarde.  Além do horário de café, uma vantagem da pousada era o horário de check-in e check-out mais tarde, possibilitando que no dia da saída os hospedes pudessem dormir até mais tarde. 
Combinamos então em nos despedir tomando café juntos às onze horas da manhã.

Já em nosso chalé, tomamos juntos o gostoso banho com direito a ensaboar um ao outro.  Ao deitar ainda fizemos um balanço daquele excitante encontro.  Henrique e Isabela eram um casal diferente e muito interessante e o sexo com eles foi muito prazeroso e divertido.  Descobri que só apreciava ser penetrada por um pau de verdade, ou até dois.  Uma pena que não deu tampo para fazer uma dupla penetração.  Paulo confessou que sentiu muito tesão e prazer fodendo Henrique, que até o beijo foi gostoso.  Porém concluiu que não era sua preferência.  Preferia uma buceta ou um rabo feminino e ser for com homem, nada de beijos e sentia mais prazer sendo passivo.

Depois daquela, ainda ficamos uma noite na pousada.  Dormimos na parte da tarde para transarmos até de madrugada, com direito a inversão e até uma dupla penetração com um pênis de borracha.   Tentei até um fisting, porém a mão de Paulo é muito grande e não consegui.  Voltei das férias renovada e pronta para novas aventuras liberais.  O final do ano já se aproximava e já fazíamos planos para o ano seguinte, incluindo conhecer outro clube de swing e até um cruzeiro liberal na Europa.